LIVROS CONTÁBEIS EM MICROFICHA - EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA

 

Exigido pelo Decreto Lei no 486 de 03 de março de 1969, nele são lançados todos os fatos contábeis que alterem ou possam vir a alterar a situação patrimonial das empresas.

O Livro Diário deverá conter Termo de Abertura e Termo de Encerramento respectivamente na primeira e última páginas, devendo ser obrigatoriamente registrado e autenticado pelas Juntas Comerciais ou por repartições públicas sob delegação das Juntas Comerciais.

Com o advento da informatização das empresas na década de 80, o Livro Diário passou a ser elaborado por computador. Contudo, a baixa velocidade dos periféricos de saída (impressoras) e a grande quantidade de formulários necessários à impressão de tais relatórios – chegando em algumas empresas a centenas de milhares de páginas – , somadas às dificuldades próprias de manuseio, transporte, tratamento, conservação, armazenamento e recuperação dos dados, levaram o Departamento Nacional de Registro do Comércio (DNRC – órgão do Ministério da Indústria e Comércio) a propor alternativas ao modelo vigente. Assim, entendendo como necessária à racionalização dos procedimentos a atualização dos métodos de trabalho, o DNRC aprovou a utilização de um eficaz recurso tecnológico para escrituração mercantil:  as microfichas,  produzidas mediante a microfilmagem de dados de saída direta do computador. 

Deste modo, a emissão do Livro Diário em formulários foi superada pelo desenvolvimento tecnológico, sendo substituída por um processo que oferece segurança e integridade na preservação dos dados processados em computador.

Resumindo, a partir de um sistema conjugando o computador (com o propósito básico de processar e gerar  informações) e a microfilmagem (com a finalidade de armazenar com total segurança as informações processadas), foi possível adotar a solução COM – Computer Output Microfilm –, isto é, a saída de dados processados em computador diretamente em microfilme, tornando-se viável, com toda a eficiência e segurança, a impressão dos Livros Diários diretamente em microfichas, conforme preceitua a Instrução Normativa no 107 do DNRC.  Desde então, milhares de empresas em todo o País vêm adotando essa solução para geração, registro e autenticação de seus Livros Diários.

                                                                     ÃVOLTAR